Últimas tecnologias na correção dos defeitos da visão

Tecnologia melhora a visão do brasileiro

Novos recursos aumentam a segurança nas cirurgias e permitem que mais pacientes operem para corrigir problemas de visão

Miopia, hipermetropia e astigmatismo são os nomes de alguns dos principais inimigos de quem usa óculos e lentes de contato. Estima-se que a miopia atinja 20% da população ocidental e este número está crescendo nos últimos anos, segundo o oftalmologista Hamilton Moreira, diretor clínico do Hospital de Olhos do Paraná.

Com mais pessoas precisando corrigir a visão, o investimento na área é grande e faz com que novas técnicas e soluções cirúrgicas apareçam todos os anos.

Para Moreira, há indícios de que o fato de as pessoas passarem grande parte do tempo desenvolvendo atividades em ambientes fechados, como ficar em frente ao computador no escritório, contribui para o aumento do número de míopes entre os ocidentais. Ele lembra que o grau de miopia costuma estabilizar no início da vida adulta, por volta dos 21 anos nas mulheres e 24 nos homens. O mesmo ocorre com o astigmatismo. Já a hipermetropia é um problema que costuma afetar as pessoas desde o nascimento e pode diminuir com o passar dos anos.

Cirurgia

Além dos óculos e lentes de contato, as cirurgias a laser já são consideradas uma forma comum de corrigir problemas da visão que estão estabilizados. O oftalmologista Marco Canto, diretor da Clínica Canto, explica que este recurso não é indicado quando o paciente tem uma córnea sem estrutura física adequada para suportar esta operação ou algum outro problema de saúde. “Córneas muito finas, pouco espessas ou com sinais degenerativos não podem ser operadas. Quando o paciente tem outros problemas de saúde ocular, como catarata ou glaucoma, também não é indicado”, diz Canto. Estas restrições costumam afetar de 15% a 20% dos pacientes que buscam corrigir a visão com cirurgia.

Novas técnicas

Existem duas novidades no mercado que podem aumentar o número de pacientes aptos a realizarem cirurgias de correção. Em Curitiba, Canto e Moreira já trabalham com o recurso do femtosecond laser. “A córnea é viva, tem células. Antes de existir esse laser era necessário fazer uma raspagem ou usar uma espécie de lâmina para levantá-la, como a capa de um livro”, explica Moreira. O novo aparelho cria um espaço embaixo da córnea por meio da emissão de raios laser, para que a cirurgia de correção seja feita sem desgastar a estrutura. “A cirurgia fica totalmente computadorizada, bem mais segura e rápida”, diz Canto.

A outra novidade é a lente intraocular Acrysoft Cache Phakic, que é colocada entre a córnea e a íris de maneira definitiva por meio de cirurgia. A lente foi aprovada no fim de maio pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e deve ser utilizada em pacientes com alto grau de miopia ou com uma córnea inapropriada para uma cirurgia a laser. “Quando o paciente tem mais de oito graus de miopia, dificilmente a cirurgia a laser pode ser feita. Esta lente será muito útil para quem tem até 16 graus de miopia”, conta Moreira.

A expectativa é de que as duas técnicas beneficiem pacientes com miopia, hipermetropia e astigmatismo. Mesmo assim, os custos que envolvem estas operações são altos – mais de R$ 6 mil.

obs: o conteúdo dessa página foi retirado de materias veridicas de sites.

Cirúrgia a laser

O LASIK é uma cirurgia a laser que pode corrigir certos tipos de erros de refração – capacidade reduzida de focalizar (ou refratar) a luz. LASIK é a sigla do nome completo da operação: Laser In Situ Keratomileusis. Embora o LASIK não cure todos os problemas, é o que existe de mais sofisticado no tratamento de certos tipos e graus de correção da visão.

A cirurgia:

Depois de anestesiado com gotas de colírio, um instrumento de elevada precisão levanta uma fina camada da córnea. Sem afetar as demais partes do olho, o Excimer laser atua sobre a camada interna da córnea por cerca de 60 segundos, possibilitando que a luz seja focalizada com maior exatidão na retina. A camada corneana é recolocada na posição inicial e se cola naturalmente sem necessidade de pontos.

animação da cirúrgia Lasik

PRK:

A técnica cirúrgica PRK foi desenvolvida com o advento da correção visual a laser. O oftalmologista anestesia a córnea do paciente com colírio e remove o epitélio de uma pequena parte da superfície corneana. O Excimer Laser então remodela a forma da córnea atuando sobre sua superfície.

Tecnologia pode ser aplicada em

olhos de robôs

Cientistas norte-americanos desenvolveram o protótipo de uma máquina fotográfica que tem um campo de visão muito semelhante ao olho humano e representa mais um passo para criar uma retina artificial, informa esta quinta-feira à revista Nature, de acordo com a Lusa.

O protótipo tem aproximadamente o tamanho e forma de um olho, e uma «retina» curva sensível à luz, segundo a equipe de investigadores em ciência de materiais das Universidades de Illinois e Northwestern responsável pelo projeto.

As câmaras convencionais usam lentes curvas para focar imagens numa superfície plana onde a luz é captada por filme ou sensores digitais. Todavia, essa focagem distorce a imagem, sendo necessárias mais lentes para reduzir as distorções, o que aumenta o volume e preço do dispositivo.

Microchip implantado na retina

permite deficientes voltarem a

enxergar

Quantos cientistas são necessários para trocar uma Lâmpada? Quando dita lâmpada é em realidade um implante para estimular os fotorreceptores das retinas e é capaz de devolver a visão a uma pessoa, vários.

A empresa alemã Retina Implatt acaba de apontar o uso de um microchip de 1.500 píxels e 3 milímetros de tamanho, que permite recuperar até 12 graus o campo de visão de uma pessoa com um problema de visão específico. O projeto estudou os casos de onze pacientes com retinite pigmentosa, dos quais sete foram operados com sucesso e agora são capazes de distinguir objetos similares e ler textos simples.

O corpo estranho deve ser retirado três meses depois, ainda que um dos pacientes ficou tão satisfeito com o resultado que já o usa há 4 anos e não deseja em hipótese alguma extraí-lo. Infelizmente, por enquanto, o avanço só pode ser aplicado a um número limitado de pacientes que, entre outros requisitos, devem ter perdido a visão de maneira gradual. Só resta dizer que, como em outros aspectos da vida, cada pequena descoberta conta.

1 Comentário »

  1. William marquês Said:

    Gostaria de saber se essas novas tecnologias tem solução para quem é portador de ceratovone obrigado


{ RSS feed for comments on this post} · { TrackBack URI }

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: